Os Guardiões do Avencal

Por: www.grafismorupestre.com

O Abrigo sob rocha do Morro do Avencal I possui grafismos rupestres muito interessantes pertencentes à  Tradição Geométrica meridional e atribuída a subtradição Morro do Avencal, segundo PROUS citado por CARMELATO (2005).

As figuras mais impressionantes são as faces humanas estilizadas em relevo e que aproveitam as depressões e falhas das rochas, dando profundidade e noção 3D para a representação!

Clique nas imagens para ampliá-las.

Figura 1: Uma representação da face do Guardião 2 (veja a fotografia 2 abaixo) do Abrigo Morro do Avencal I – Urubici - Santa Catarina. Figura: Jean Marie Polli, 2017. Continue lendo Os Guardiões do Avencal

Homo sapiens no centro da América do Sul

Sítio perto de Cuiabá indica presença do homem há 27 mil anos em Mato Grosso

Por MARCOS PIVETTA | ED. 259 | SETEMBRO 2017. Fonte da Revista Pesquisa FAPESP.

Distante cerca de 80 quilômetros (km) a noroeste de Cuiabá, o município mato-grossense de Jangada está colado ao centro geográfico da América do Sul. Para qualquer lado que se ande, a visão do oceano, seja o Pacífico ou o Atlântico, somente aparece depois de percorridos ao menos 1.500 km. Nessa porção do Cerrado, a vegetação é mais densa e a serra das Araras, com altitudes entre 500 metros (m) e 800 m, pontua a paisagem.

Em um abrigo sob rochas de difícil acesso, situado em um vale na parte sudeste da cadeia de montanhas, dois paredões calcários preservam um pedaço pouco conhecido da pré-história do Brasil e das Américas.

Pintura rupestre de um dos 170 sítios pré-históricos da Cidade de Pedra, perto de Rondonópolis. (Reprodução do Livro Pré-História de Mato Grosso – VOL. 2) Continue lendo Homo sapiens no centro da América do Sul

Abrigos do Rio Pitangui I e II – Ponta Grossa PR

Por: www.grafismorupestre.com

Estes são dois abrigos com pinturas rupestres localizados à margem esquerda do Rio Pitangui em Ponta Grossa no Paraná.

O Abrigo do Rio Pitangui I possui pinturas rupestres nas paredes das rochas a céu aberto, principal motivo para estarem bastante degradadas pela ação do tempo.

Já, o Abrigo do Rio Pitangui II localiza-se em uma pequena lapa no conjunto rochoso acima da estrada, possui apenas uma pequena pintura no teto melhor preservada por estar protegida sob a lapa.

Localização dos abrigos do Rio Pitangui - Abrigo do Rio Pitangui I fica no conjunto rochoso abaixo da estrada. Abrigo do Rio Pitangui II fica acima da estrada.

Figura 1 – Localização dos abrigos do Rio Pitangui – Abrigo do Rio Pitangui I fica no conjunto rochoso abaixo da estrada. Abrigo do Rio Pitangui II fica acima da estrada.

Continue lendo Abrigos do Rio Pitangui I e II – Ponta Grossa PR

TIRU-PURUSHAM: O sagrado criador

Por: www.grafismorupestre.com

E se sua imagem sagrada de criador fosse depredada?

O que mais degrada os sítios arqueológicos na região dos Campos Gerais é a ação humana, e o extremo ao qual o homem moderno pode chegar é tentar registrar sua presença no local através do rabisco com pedras ou de qualquer outra forma sobre as pinturas milenares.

Este tipo de depredação é irreversível pois ataca diretamente a pintura e a tentativa de recuperá-la pode degradá-la ainda mais.

As figuras abaixo mostram com tristeza o que “seres humanos conhecidos como sapiens”, sem a mínima noção da importância histórica das pinturas, fazem ao visitarem os abrigos. Nós queremos acreditar que estas pessoas simplesmente ignoram os fatos por falta de conhecimento e informação.

Com certeza este admirador do Sagrado Criador não tem um estado de espírito elevado, depredando pinturas tão antigas quanto a Cultura Hindu. Abrigo Usina São Jorge – Ponta Grossa - Paraná. Foto: Jean Felipe Goes, 2009.

Figura 1: Com certeza este admirador do Sagrado Criador não tem um estado de espírito elevado, depredando pinturas tão antigas quanto a Cultura Hindu. Abrigo Usina São Jorge – Ponta Grossa – Paraná. Foto: Jean Felipe Goes, 2009. Continue lendo TIRU-PURUSHAM: O sagrado criador

— Mãos ao alto isso é um assalto!

Por: www.grafismorupestre.com

Existiam assaltos já na pré-história?

Os abrigos utilizados pelos homens das cavernas geralmente eram em lugares estratégicos, e o sítio do Abrigo Usina São Jorge está localizado em uma excelente lapa no alto do vale do Rio Pitangui, de onde as pessoas que ali habitaram tinham uma ampla visão de todo o vale e campos por quilômetros de distância. Essas características do abrigo poderiam trazer vantagens, como a localização de caça e a proteção contra inimigos, os quais na linguagem moderna não passariam de ladrões atrás de comida, armas e utensílios. Na Figura 1 mostramos a lapa no pico do morro. E na Figura 2 a vista privilegiada do entorno do abrigo.

O Abrigo Usina São Jorge no alto de um morro do vale do Pitangui – Ponta Grossa - Paraná. Foto: Jean Felipe Goes, 2009.

Figura 1: O Abrigo Usina São Jorge no alto de um morro do vale do Rio Pitangui – Ponta Grossa – Paraná. Foto: Jean Felipe Goes, 2009.

Continue lendo — Mãos ao alto isso é um assalto!

Fotos da Trilha Paiolinho à Pedra da Mina SP

Por: www.grafismorupestre.com

It’s always further than it looks. It’s always taller than it looks. And it’s always harder than it looks. – The 3 rules of mountaineering

Fotos legais do que você provavelmente verá se for à Pedra da Mina, o teto de São Paulo e quarto ponto mais alto do Brasil com 2798,06 m de altitude. Veja o artigo: Trilha Pedra da Mina o cume do estado de São Paulo via Paiolinho, ele contém  outras informações sobre a trilha como mapas de chegada e dados técnicos. Também pode seguir a rota fotográfica: ROTA FOTOGRÁFICA – Subida à Pedra da Mina o ponto culminante do estado de São Paulo

Clique nas fotos para ampliá-las.

Serras do Sul De Minas Gerais
Serras do Sul De Minas Gerais

Continue lendo Fotos da Trilha Paiolinho à Pedra da Mina SP

ROTA FOTOGRÁFICA – Subida à Pedra da Mina o ponto culminante do estado de São Paulo

Por: www.grafismorupestre.com

I have climbed the highest mountains, I have run through the fields, only to be with you! (U2)

Para atingir a Pedra da Mina, o ponto mais alto do estado de São Paulo e quarto do Brasil com 2798,06 m de altitude, siga abaixo a rota fotográfica comentada. Veja o artigo: Trilha Pedra da Mina o cume do estado de São Paulo via Paiolinho, ele contém  outras informações sobre a trilha como mapas de chegada e dados técnicos.

Atenção: Apesar de descrevermos o melhor possível as rotas, não nos responsabilizamos pelas informações prestadas! Se for a sua primeira ascensão à Pedra da Mina, seja prudente e contrate um guia local.

Clique nas fotos para ampliá-las.

1 Fazenda Serra Fina no Bairro Paiolinho em Passa Quatro – MG

Fazenda Serra Fina - Ponto de partida para a Pedra da Mina pela trilha do Paiolinho.
Fazenda Serra Fina – Ponto de partida para a Pedra da Mina pela trilha do Paiolinho.

A trilha começa no canto à direita da foto, no local não tem qualquer estrutura para acolher os montanhistas, é cobrado R$ 20,00 por carro para estacionar, valor de 2017. A presença é registrada para controle de quem está na trilha, importante é anotar os telefones que existem na placa da fazenda para emergências, muitos pontos da trilha tem sinal de celular.   Continue lendo ROTA FOTOGRÁFICA – Subida à Pedra da Mina o ponto culminante do estado de São Paulo

Pico Paraná, a montanha mais alta do sul do Brasil – 1.877m

Por: grafismorupestre.com

“Porque no final, você não vai se lembrar do tempo que passou trabalhando no escritório ou cortando grama. Suba aquela maldita montanha” (Jack Kerouac)

O Pico Paraná é o ponto mais alto da Região Sul do Brasil, localizado entre os municípios de Antonina e Campina Grande do Sul,  60 Km de Curitiba no Paraná. Pertence à Serra Ibitiraquire (Serra Verde na língua Tupi) parte integrante da Serra do Mar. 

A vista panorâmica que se tem quando no pico é impressionantemente linda, dependendo das condições avista-se até as cidades de Curitiba e do Litoral paranaense. A trilha exige esforço moderado no primeiro terço dela e nos últimos 1500 m, o restante é de esforço leve com algumas dificuldades em obstáculos como pedras e raízes das árvores.

Pico do Paraná – Serra do Ibitiraquire, visto do ponto da trilha chamado de "A Janela".
Pico do Paraná – Serra do Ibitiraquire, visto do ponto da trilha chamado de “A Janela”.

Atenção: Apesar de descrevermos o melhor possível as rotas, não nos responsabilizamos pelas informações prestadas! Se for a sua primeira ascensão ao Pico do Paraná, seja prudente e contrate um guia local.

Continue lendo Pico Paraná, a montanha mais alta do sul do Brasil – 1.877m

Pela Defesa da ESCARPA DEVONIANA

Por: www.grafismorupestre.com

São mais de 60 sítios arqueológicos catalogados e que deveriam ser protegidos na APA (Área de Proteção Ambiental) da Escarpa Devoniana na região dos Campos Gerais no Paraná, englobando 13 municípios.

Isso é o que sobrou de um sítio arqueológico de mais de 7000 anos nos limites da APA da Escarpa Devoniana depois de uma queimada, ele está a poucos metros de campos de agricultura, os LIMITES DEVERIAM SER AUMENTADOS! http://www.sopacosmica.com/grafismorupestre/2015/08/10/fotos-abrigo-prpg01-cambiju/

É de extrema importância a manutenção dos limites atuais, tanto do ponto de vista arqueológico, ambiental ou cultural da região.

Abaixo manteremos notícias sobre o absurdo Projeto de Lei nº 527/2016, que tramita na Assembleia Legislativa, com a pretensão de diminuir para aproximadamente 1/3 os limites atuais da APA. (Vote contra na petição Assembleia Legislativa do Paraná: Queremos que o projeto 527/2016 seja rejeitado e arquivado.)

Programas em vídeo da RPC – Bispo de Ponta Grossa diz ser contra redução da APA na Escarpa Devoniana

Programas em vídeo da RPC – ‘Meu Paraná’: Escarpa Devoniana está ameaçada

Gilson Burigo Guimarães – Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) – APA da Escarpa Devoniana pode perder 70% de sua área

Euclides Lucas Garcia – GAZETA DO POVO – Carta Apelo – Pelo tombamento da Escarpa Devoniana para a proteção do patrimônio natural e cultural do ParanáProjeto reduz em mais de dois terços área de proteção ambiental que corta o Paraná

Redação – ALTA MONTANHA – Audiência sobre redução da APA da escarpa Devoniana demonstra apelo popular contra projeto

Rosana Felix – GAZETA DO POVO – O mapa suspeito da Escarpa Devoniana

Péricles de Mello – DEPUTADO ESTADUAL – Carta Apelo – Pelo tombamento da Escarpa Devoniana para a proteção do patrimônio natural e cultural do Paraná

Este material é protegido pelas leis de direitos autorais. Ele não pode ser copiado por qualquer meio para fins comerciais, sem prévia autorização. Se deseja usá-lo para fins acadêmicos, veja como citar este artigo: 

GRAFISMORUPESTRE.COM. Pela Defesa da ESCARPA DEVONIANA. Disponível em: www.grafismorupestre.com; Acessado em: xx/xx/xxxx.

Para fotografias:
Nome da fotografia. Fonte: www.grafismorupestre.com.

Divulgue este absurdo nas redes sociais abaixo:

ROTA FOTOGRÁFICA – Trilha da Pedra Sapo à Pedra do Cume da Serra do Lopo na Mantiqueira – Extrema MG

Por: www.grafismorupestre.com

I think that maybe we do not climb a mountain because it is there. We climb because we are here. (Jon Carrol)

Para atingir a Pedra do Cume o ponto mais alto da Serra do Lopo (1.700 m de altitude) siga abaixo a rota fotográfica comentada, para outras informações sobre a trilha e mapas veja o artigo: Pedra do Cume da Serra do Lopo na Mantiqueira através da Trilha da Pedra Sapo – Extrema MG

Atenção: Apesar de descrevermos o melhor possível as rotas, não nos responsabilizamos pelas informações prestadas! Se for a sua primeira ascensão à Pedra do Cume, seja prudente e contrate um guia local.

1 Mirante da Caixa (Clique nas fotos para ampliá-las.)

Placa indicativa do início da Trilha da Pedra Sapo ao lado do Mirante da Caixa Dágua. Observação a árvore seca não existe mais!
Placa indicativa do início da Trilha da Pedra Sapo ao lado do Mirante da Caixa Dágua. Observação a árvore seca não existe mais!

Continue lendo ROTA FOTOGRÁFICA – Trilha da Pedra Sapo à Pedra do Cume da Serra do Lopo na Mantiqueira – Extrema MG